NUTRIÇÃO - NEWSLETTER JUNHO



SARDINHA… A ETERNA RAINHA DOS SANTOS POPULARES

Não há marchas populares, não há arraial, não há cor e música na rua e não há convívio e gargalhadas até de madrugada, mas há uma tradição que a pandemia não nos pode tirar, a bela da sardinha à mesa!

Símbolo da gastronomia portuguesa e popular nas festas e arraias de verão, a sardinha é um peixe com uma composição nutricional muito interessante, mas que varia consoante a espécie e época do ano em que é capturada.

· Rica em ómega-3

A sardinha reproduz-se nos meses de inverno, altura em que é mais magra, e capturada no Verão, quando o teor de gordura é mais elevado e, portanto, maior quantidade em ácidos gordos ómega-3, que contribuem para o normal funcionamento do coração, memória e desenvolvimento cognitivo.

· Fonte de vitaminas e minerais



Ao consumir cerca de 2 a 3 sardinhas, supera o valor diário recomendado de vitamina D, a famosa vitamina do “Sol” e em 100 g, de sardinha em lata, fornece até 38% da dose diária recomendada de cálcio para um adulto.

Mas a sardinha não se fica por aqui, fornece-nos também uma boa quantidade de vitamina B12, ferro e zinco.

· Não se preocupe com os metais pesados

Sendo uma espécie de baixo peso e não predadora, o risco de contaminação de mercúrio e cádmio é muito baixo.



· Cuidados a ter na escolha da sardinha

Olhos salientes e pupila negra, pele brilhante e de cor viva, cavidade abdominal intacta, corpo firme e guelras bem vermelhas são as características que nos dizem que a sardinha é fresca.

· Enlatada também é opção



A nossa indústria de conserva produz este peixe em lata de boa qualidade e a única coisa que temos que ter em atenção é ao teor de sal. Escolha as menos salgadas e, se o valor energético lhe preocupa, tem à disposição sardinha em água ou tomate.

Agora que já sabemos um pouco mais sobre a rainha dos Santos Populares, dê asas à imaginação e organize um pequeno arraial em família.

BONS SANTOS POPULARES!

Nutricionista

Marta Sofia Ferreira – 4137N

FONTES:

Shirai N, Terayama M, Takeda H. (2002). Effec


t of season on the fatty acid composition and free amino acid content of the sardine Sardinops melanostictus

APN. (2015). Sardinha à lupa.

APN. (2016). Pescar Saúde.

PNPAS; DGS. (2019). Cinco razões nutricionais para comer sardinha todo o ano. Nutrimento.


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo