Newsletter Nutrição - Janeiro/2020

GORDURA SATURADA E GORDURA INSATURADA: DESCUBRA AS DIFERENÇAS


Os lípidos ou gorduras são, tal como as proteínas e os hidratos de carbono, um macronutriente que desempenha funções importantes no nosso organismo, mas será a gordura da nossa alimentação toda igual?

Tendo em conta a estrutura química as gorduras são classificadas de forma distinta e a gordura saturada e insaturada são dois dos vários tipos de gordura que podemos encontrar nos nossos alimentos.  

Gordura Saturada Este tipo de gordura é conhecido por se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos e por isso estar associado ao risco aumentado de doenças cardiovasculares. É uma gordura que se encontra sólida à temperatura ambiente e está presente em alimentos como manteigas, queijos gordos, produtos de charcutaria e salsicharia, banhas, óleos de palma entre outros. As recomendações referem que a ingestão de gordura saturada não ultrapasse os 10% do valor energético total

Gordura Insaturada   Encontra-se líquida à temperatura ambiente e subdivide-se em gordura monoinsaturada e polinsaturada.

A primeira, ao contrário da gordura saturada, está associada à diminuição do LDL “Mau Colesterol. No azeite encontramos este tipo de gordura em grandes quantidades e é por este tipo de gordura conferir benefícios para a nossa saúde que o azeite deve ser a nossa escolha em relação a outras fontes de gorduras. A seguir ao azeite, também o abacate e os frutos oleaginosos fornecem uma quantidade significativa de gordura monoinsaturada. 

A polinsaturada, constituída por ácidos gordos polinsaturados, mais conhecidos por ómega 3 e 6, desempenha um papel importante na resposta à infeção, estimula o bom funcionamento cerebral e é fundamental para o crescimento, desenvolvimento e reparação do nosso organismo.  Podemos encontrar ácidos gordos ómega 3 e 6 em alimentos como peixes gordos, óleos de fígado de peixe, sementes e frutos oleaginosos e hortícolas de cor verde escura como os brócolos e espinafres.  

Embora estes ácidos gordos polinsaturados apresentem uma panóplia de benefícios, se consumidos em excesso podem ter o efeito contrário, tal acontece quando o consumidor para além do consumo regular de alimentos ricos nestes ácidos gordos ainda faça suplementação dos mesmos.  

A ingestão de gorduras não deve ser privada da nossa alimentação, deve sim ser integrada numa alimentação equilibrada onde a sua a ingestão corresponda entre 15 a 30 % da energia total da dieta e cabe-nos a nós escolher as melhores fontes de gordura.  

Dra Marta Sofia Ferreira 

Nutricionista - 4137 N 




11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo